Política Covid-19

Na ONU, governo Bolsonaro critica lockdown adotado em meio à pandemia

Ministros Damares Alves e Ernesto Ara√ļjo foram os representantes do pa√≠s a discursar durante o 46¬ļ Conselho de Direitos Humanos nesta segunda-feira (22/2)

Por G7 Bahia

22/02/2021 às 15:57:34 - Atualizado h√°
Foto: Reprodução/Nações Unidas

O ministro das Rela√ß√Ķes Exteriores, Ernesto Araújo, criticou nesta segunda-feira (22/2) o "tecnototalitarismo" e as medidas de lockdown adotadas durante a pandemia do novo coronavírus. As declara√ß√Ķes foram feitas no 46¬ļ encontro anual do Conselho de Direitos Humanos da Organiza√ß√£o das Na√ß√Ķes Unidas.

Durante o evento, Ernesto Araújo fez uma série de críticas, entre elas, sobre os lockdowns adotados por diversos países na inten√ß√£o de conter o avan√ßo da covid-19. "Sociedades inteiras est√£o se habituando à ideia de que é preciso sacrificar a liberdade em nome da saúde".

O ministro também criticou o "tecnototalitarismo", o qual ele enxerga como um "grande desafio" para a sociedade moderna. "Nossa tarefa é garantir que essas tecnologias sirvam para libertar e engrandecer o ser humano, e n√£o para submet√™-lo ou apequena-lo, transformando cada homem e cada mulher a uma simples combina√ß√£o de dados a serem explorados", disse.

"A maré crescente de controle da internet por diferentes atores, movidos por objetivos econômicos ou ideológicos, precisa ser detida", ressaltou Araújo.

Tempo para propaganda

A ministra da Família, da Mulher e dos Direitos Humanos, por sua vez, ressaltou, em discurso, as atitudes do governo federal no enfrentamento da covid-19 e usou seu tempo de fala para fazer "propaganda" de programas do governo.

Entre eles, o Abrace Marajó, que visa o desenvolvimento sustent√°vel da Amazônia e que tem "√™nfase na prote√ß√£o da floresta e, principalmente, de quem vive nela".

Damares também ressaltou que a defesa de direitos da mulher, dos jovens e principalmente dos idosos é uma prioridade do governo brasileiro. E comentou a opera√ß√£o policial deflagrada no ano passado que apurou mais de 13 mil denúncias contra idosos em todo o país. Outro exemplo de prioridade citado pela ministra foi o plano de vacina√ß√£o contra a covid-19 que j√° vacinou, em primeiro grau, idosos, indígenas e profissionais da saúde.

Dois brasileiros

Foi a primeira vez que o país se apresentou ao conselho com dois oradores, de acordo com a própria ONU. De acordo com a organiza√ß√£o, fica a critério do país decidir se ir√° dividir o tempo de discurso (cerca de 7 minutos) entre um ou dois oradores.

Segundo o Itamaraty, "a indica√ß√£o de ambas as autoridades ministeriais para o evento decorre da pertin√™ncia tem√°tica e da relev√Ęncia dos temas discutidos no CDH para ambas as pastas governamentais", informou.

Fonte: Correio Braziliense
Comunicar erro
G7 Bahia

© 2021 Todos os direitos reservados - G7Bahia
www.g7bahia.com.br

•   Política de Cookies •   Política de Privacidade    •   Contato   •

G7 Bahia