Sa√ļde Covid-19

OMS: 500 mil podem morrer em nova onda de covid na Europa

A Organiza√ß√£o Mundial da Sa√ļde se disse 'muito preocupada' com aumento de casos de infec√ß√£o pelo coronav√≠rus em v√°rios pa√≠ses da Europa.

Por G7 Bahia

20/11/2021 às 15:57:46 - Atualizado h√°
Foto: Reprodução

A Organiza√ß√£o Mundial da Saúde (OMS) disse que est√° "muito preocupada" com o aumento de casos de covid-19 na Europa, que vive uma nova onda de infec√ß√Ķes pelo coronavírus.

Em entrevista à BBC, Hans Kluge, diretor regional da OMS, disse que 500 mil novas mortes podem ocorrer até mar√ßo, se medidas urgentes n√£o forem adotadas.

Kluge disse que exigir uso de m√°scara, por exemplo, produziria um efeito imediato em conter as infec√ß√Ķes. O alerta da OMS chega num momento em que v√°rios países vivenciam recordes em taxas de infec√ß√£o. Alguns est√£o introduzindo lockdowns totais ou parciais.

Kluge diz que uma série de fatores est√° por tr√°s da nova onda de covid, como a chegada do inverno, cobertura vacinal insuficiente e a preval√™ncia da variante Delta na Europa, que é mais transmissível. Ele defendeu aumentar o ritmo de vacina√ß√£o, adotar medidas b√°sicas de saúde pública e introduzir novos tratamentos para ajudar a combater mortes pela doen√ßa.

"A covid-19 se tornou novamente a principal causa de morte na nossa regi√£o", disse ele à BBC. "Sabemos o que precisa ser feito (para combater a doen√ßa)."

Kluge disse que medidas para tornar a vacina√ß√£o contra covid compulsória devem ser vistas como "último recurso", mas defendeu que é o momento de haver "um debate legal e social" sobre o assunto.

"Antes disso h√° outras meios, como o passaporte de vacina√ß√£o", disse. Para o diretor da OMS, o 'passaporte' de vacina√ß√£o "n√£o é uma restri√ß√£o à liberdade, mas sim um intrumento para mantermos a liberdade individual".

A √Āustria se tornou na sexta (19) o primeiro país europeu a anunciar que a vacina√ß√£o contra a covid se tornar√° uma exig√™ncia legal. As novas regras entram em vigor em fevereiro.

O anúncio, feito em conjunto com o início de um novo lockdown, é uma resposta ao recorde de infec√ß√Ķes e à baixa taxa de vacina√ß√£o.

V√°rios outros países europeus est√£o impondo medidas de conten√ß√£o diante do aumento de casos de covid. E na√ß√Ķes como República Tcheca e Eslov√°quia anunciaram restri√ß√Ķes a pessoas n√£o vacinadas.

Na noite de sexta para s√°bado, protestos violentos ocorreram em Roterd√£, na Holanda, contra novas medidas de restri√ß√£o anunciadas pelo governo, entre elas um banimento a fogos de artifício no Ano Novo.

J√° o ministro da Saúde da Alemanha, Jens Spahn, descreveu a situa√ß√£o em seu país como uma "emerg√™ncia nacional" e se recusou a descartar a possibilidade de um novo lockdown.

No Reino Unido, por sua vez, foi registrado um recorde de 44.242 na sexta (19). O governo tem consistentemente dito que n√£o planeja anunciar um novo lockdown, mas admitiu que novas medidas contra a covid podem ser adotadas para proteger o NHS- o servi√ßo de saúde público do país.

O chamado plano B inclui a apresenta√ß√£o obrigatória de passaportes da vacina em alguns locais fechados, uso obrigatório de m√°scara e recomenda√ß√£o para as pessoas trabalhem de casa.


Comunicar erro
G7 Bahia

© 2021 Todos os direitos reservados - G7Bahia
www.g7bahia.com.br

•   Política de Cookies •   Política de Privacidade    •   Contato   •

G7 Bahia